We were meant to be
supposed to be
But we lost it
theme feito por im-mutable; detalhes por noheartgirl e base por deslocado; não copie e nem se inspire.

sixfeet-fromtheedge:

Te espreme o coração. Te deixa agitada. Te faz agir de forma errada. Machuca, e ao mesmo tempo te proporciona ótimos momentos. Te coloca o maior dos sorrisos nos lábios, te distrai do resto do mundo. Transforma você e direciona momentos da sua vida. É amor. Dói. Faz sofrer. Mas é amor. No fim das contas vale a pena. (sixfeet-l)


Posted 2 years ago with 1 note

sixfeet-fromtheedge:

Ei, pai, olha pra mim. Você não pode me deixar agora, nós ainda temos muito pra viver juntos. E agora, eu me lembro perfeitamente de tudo que já passamos, os bons, os maus, e os momentos que deixamos de viver juntos. Me lembro de tantas vezes que brigamos, por motivos tão bobos. Me lembro de tantas risadas que já demos, por motivos bobos também. Me lembro de quando passeávamos juntos. Eu sinto falta disso tudo que vivemos juntos, papai. E sei que ainda precisamos de muito tempo pra refazer todas as coisas, e fazer todas aquelas que ainda não fizemos. Você ainda tem que brigar muito comigo, quando eu fizer alguma coisa errada. Eu ainda tenho que fazer muita coisa errada, pra te tirar do sério. Você ainda tem que me dar muitos conselhos, e me ensinar coisas que eu vou guardar pela vida toda. Você tem que estar aqui, quando eu me casar, para me levar até o altar. Você tem que estar aqui, para eu ir vendo o seu cabelo ficando todo grisalho. Eu preciso vero seu sorriso quando as crianças correrem pela casa em volta do senhor chamando o vovô para contar histórias. Eu preciso que você esteja aqui, para me ouvir reclamar das rugas, e de como eu estarei cansada das rugas. Eu preciso que você esteja aqui, sempre. Então se cuida bem, tá? Se cuida, porque ainda tá muito cedo. E eu não estou pronta pra ficar sem você. Então pai, espera, que ainda não tá na hora. Fica mais um pouco comigo. Fica comigo, porque eu te amo demais, papai. (sixfeet-p)


Posted 2 years ago with 429 notes


Posted 2 years ago with 38,909 notes
originally evidence-s

sixfeet-fromtheedge:

"Oh I had my chances and I’ve taken them all, just to end up right back here on the floor" ♪

Carpe Diem, aproveite o dia. Não perca as oportunidades, nenhuma delas. É preferível se arrepender de algo que fez do que se arrepender de algo que não fez. Foi assim que levei minha vida. Baseada nisso que tomei minhas escolhas. Por pensar assim que te deixei tomar conta de mim, que me entreguei a você. Sofri, fui usada por minhas próprias vontades, escrava de um amor não correspondido. Você me quis, mas não me amou. Eu tive você, mas não atingi seu coração. Mas aprendi a lidar com a dor, aprendi a lidar com todo o sofrimento. É a única forma de te ter comigo. Você nunca irá sentir por mim o que eu sinto por você, nunca irá me querer do jeito que te quero. Mas prefiro me arrepender futuramente por ter gasto meu tempo contigo, mesmo sabendo do inevitável fim, do que me arrepender por não ter aproveitado as chances que tive de te ter em meus braços. Um dia, quando nos separarmos, quando formos para cidades diferentes, (as lágrimas correm por saber que será muito em breve), eu terei comigo as recordações ruins de tudo que sofri por muito, mas terei também as boas, de todos os bons momentos que passei contigo. E é somente as boas que guardei em meu coração eternamente, meu amor. (sixfeet-l)


Posted 2 years ago with 1 note


Posted 2 years ago with 29,660 notes
originally e-m-p-t-y-s-e-t

Sinceramente eu te desejo um amor.
Que dure.
Que cure.
Que alegre.
Que seja.
Também te desejo um casamento bonito.
Que compense.
Que valha.
Que marque.
Que seja.
Também te desejo uma família estável.
Que cresça.
Que some.
Que esteja.
Que seja.
E por último também te desejo uma boa memória.
E que ela te lembre todos os dias que comigo poderia ter sido melhor.
E seria.

sixfeet-fromtheedge:

Sonhei com você essa noite. Como se tudo fosse lindo, se tudo fosse amor, e se tudo fosse suficiente. Sonhei com como costumávamos ser, algum tempo atrás. Foi um sonho bom. Mas por algum motivo, de repente você se afastava de mim, com uma rapidez enorme, eu só podia ver o seu vulto, se afastando cada vez mais, e na medida com que se afastava, ia escurecendo tudo a minha volta, até que eu me vi num vácuo imenso, e barulhento. Acordei no meio da noite, interrompendo o sonho, meu coração disparado, e meus olhos cheios de lágrimas. Aquele flash rápido de como você foi se afastando de mim, e como tudo se tornou sombrio e solitário longe de ti, havia mexido comigo profundamente. Como pegar uma faca e estraçalhar uma ferida que ainda não terminara de cicatrizar, a imagem de você veio para revirar todas as memórias suas, que eu lutara tanto para enterrar. Comecei a lembrar de tudo que já passamos juntos, dos bons, dos maus momentos. Lembrei de todos os tempos difíceis que passamos juntos mas que você diz que ficaria tudo bem, porque tínhamos um ao outro. Lembrei de tudo isso. Eram quase quatro horas da manhã, eu me peguei agarrada num travesseiro, que estava encharcado com minhas lágrimas cheias de nostalgia e dor. Eu sentia sua falta, mas sabia que se voltasse atrás, corresse para seus braços e lhe dissesse que ainda não te esqueci, você iria me abrigar nos seus braços, me encher de esperanças e depois ir embora, aos poucos. E em questão de pouco tempo, eu me veria na mesma situação atual. Então eu não faria, eu sentia sua falta, mas eu iria superar isso. Levantei, lavei o rosto, vesti uma roupa e sai para caminhar. Eu estava disposta a andar até aquilo passar. Então fui. Em questão de poucos minutos e me vi correndo e chorando pela cidade escura. Enquanto muito dormiam tranquilos em suas cama, eu deixava um pouco da minha dor, em cada esquina dessas que eu passei. Eu vagava sem direção, e aos poucos o cansaço se tornou maior que a dor, e resolvi voltar. Ao chegar em casa, tomei um banho quente, e voltei a deitar. Já passavam das oito horas da manhã. Eu prometi para mim mesma que não voltaria a pensar em você. E adormeci (…) Já era o fim da tarde de domingo, quando finalmente abri meus olhos, o dia estava nublado e frio. Já se passaram seis meses desde que pensei em você pela última vez. Procurei me manter ocupada, de modo que não me sobrasse tempo para pensar em bobeira, você. O tempo passou, e agora você apareceu, como quem se arrependeu, e quis voltar atrás. Mas isso não me abalou de modo algum, simplesmente me neguei a ouvir suas desculpas esfarrapadas e fui embora. É uma sensação boa. Sentir-se livre de tudo aquilo que me perseguiu durante muito tempo. É como um alivio. Agora eu posso descansar. (sixfeet-p)


sixfeet-fromtheedge:

E numa noite escura dessas, a gente se perde. Se perde nos sussurros gritantes de uma alma que costuma sofrer calada. Se perde no turbilhão de imagens que fogem da nossa memória, num quarto escuro. Se perde na tentativa de ignorar tudo o que passa. Se perde no esquecimento. Procuramos sem saber onde, e sem saber o que procuramos. Mas vamos em busca de algo, que não nos deixa ser completos sem aquilo. Buscamos descobrir o que falta em nós mesmos, para que assim possamos buscar, encontrar e completar. Mas numa noite dessas, a gente descobre que tudo aquilo que falta, é inalcançável. Você percebe seus sonhos caindo, gotas de chuva, e se esparramando pelo chão. Você percebe que tudo está desmoronando, e é então, que você desmorona também. A vida parece se tornar um pesadelo do qual você não acorda. E o único modo de fugir dele, é correr para os sonhos, onde tudo pode ser lindo. Então dormimos, por muito tempo. Dormimos para fugir do pesadelo que nós mesmos criamos, do qual não podemos fugir, que algumas pessoas costumam chamar de vida. (sixfeet-p)


Lembro-me perfeitamente da época em que éramos um todo. Lembro-me também, da forma como esse todo foi se dissipando, criando milhares de pedacinhos, e o quanto isso foi doloroso. Meu coração, como esse todo, se fez em mil pedaços, quando você encontrou um outro coração para completar […]
Pollyanna Monção (sixfeet-p)

sixfeet-fromtheedge:

Existem noites em que tudo pesa sobre nossos ombros. As estrelas simplesmente desaparecem, e o céu começa a desabar sobre nossas cabeças. Existem dias em que tudo se torna difícil demais, cansativo demais. Aqueles dias em que estamos sensíveis demais, e parece que ninguém nota, ninguém vê. Você precisa que alguém entenda tudo aquilo que passa dentro de você, mas sem dizer uma única palavra. Existem dias em que desejamos simplesmente não levantar da cama, só ficar ali, o dia todo, remoendo pensamentos, dores e seja lá o que tenhamos dentro de nós. Mas queremos que nesse dia, alguém venha,  nos tire da cama, nos dê força e nos diga que vamos conseguir. E é justamente nesse dia, que ninguém vem. (seixfeet-p)